Uma palavra de Strasbourg – por Joana Ferreira

UMA PALAVRA DE ESTRASBURGO…

Questões Humanitárias

Joana Ferreira

Já todos ouvimos falar da Capital da Europa… Também se sabe que aqui estão situadas as Instituições Europeias… Mas o que talvez ainda não se conheça em Estrasburgo, a cidade do Tribunal dos Direitos Humanos, do Parlamento Europeu, do Conselho da Europa, é a quantidade de pessoas que, por escolha pessoal ou por razões de força maior que a sua vontade, têm como céu as estrelas, sorriem em troco de uma moeda, têm os cisnes como companhia e conhecem os cantos mais remotos como as palmas das suas velhas (e jovens!) mãos… Referimo-me a pessoas humanas que habitam nas ruas deste museu historico que é a cidade de Estrasburgo. Em francês, les sans-abri.

Muitos são saltimbancos e dão vida e cor às praças antigas! Gosto de ver o lado positivo de tudo. Normalmente fazem-se acompanhar (ou acompanham!) os seus amigos caninos e não fazem mal a ninguém. A maioria são jovens e foi isso o que mais me chocou visto que aqui em França os apoios sociais aos estudantes são bastante acessiveis (se não vejamos: o Estado Francês financia a minha estadia e a bolsa portuguesa ainda não chegou…). Quanto aos mais velhos, não creio que seja pela ânsia de experimentar o mundo que vivam consoante as estações do ano… ja são conhecidos e guardam os seus lugares como estatuas humanas. Tenho a certeza que as mereciam! Amanhã sei que eles la estarão, no sitio do costume – Bonjour!, digo eu na esperança de lhes aquecer a alma (e esperando que a meteorologia seja generosa). Imaginem comigo as suas longas historias de vida… mas sei que não conseguimos imaginar as suas noites. Este frio congelador infelizmente não os poupa e so este ano ja subiu para três o número de Sans Domicile Fixe falecidos em França.

Evidentemente que as associações existem e varias sao as campanhas em marcha. A associação Les Enfants de Don Quichotte luta contra as situações desumanas dos que estão vulneraveis às forças da natureza visando proteger os mais necessitados – uma das suas grandes acções são os acampamentos de tendas nos locais publicos e, na época natalicia, a operação Pour que personne ne passe le Noël dehors abrigou cerca de 30 sem-abrigo na Catedral de Estrasburgo! Também em Paris as manifestações se fazem sentir e em Fevereiro milhares de pessoas e 28 associações se juntaram numa noite solidaria com os que vivem ao relento. Todas as iniciativas são de louvar mas parencem-me insuficientes (como em todas as cidades do Mundo!) e o panorama humanitario continua muito aquém do desenvolvimento que este ponto de encontro europeu transmite!

A titulo de curiosidade, as eleições municipais de Estrasburgo estão à porta e é visivel um grande movimento social, nomeadamente pelo facto do Presidente de Les Enfants de Don Quichotte ser um dos candidatos – propondo uma verdadeira politique de mixité sociale.

Confesso que sinto uma enorme revolta ao ver reflexo deste cenario nos edificios brilhantes e grandiosos das Instituições Europeias mas continuo a acreditar que o caminho da igualdade, mesmo que lento, esta a ser traçado e que tem a esperança e luta de todos cidadãos do mundo…

Anúncios

2 Responses to “Uma palavra de Strasbourg – por Joana Ferreira”


  1. 1 Inês em Kaos Março 23, 2008 às 6:19 am

    🙂 ainda bem que partilhas Joana, não resisti a por a tua carta no meu blog.

  2. 2 Joana Maio 4, 2008 às 8:35 pm

    Uau é uma honra pertencer ao teu cosmos… e as vezes ao caos hihi amo ser tua irmã!!!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s





%d bloggers like this: